10 dias em Florianópolis: roteiro e dicas dessa viagem.

Floripa_beira_mar_norte

Florianópolis, ou apenas “Floripa” para os mais íntimos, ocupa um lugarzinho especial no meu coração. Não só pelas 42 belas praias (ou seriam 100?!),  mas também pelo clima despojado e amigável dos seus habitantes. Pra mim, Floripa é o paraíso!

Meus motivos:

  • Na ilha você com certeza encontrará uma praia pra chamar de sua: tem as mais endinheiradas, as baratinhas, a de areia fofíssima, a de mar calmo, mar com ondas, mar pra surfistas, de naturismo, alternativas, quase desertas, mar gelado, mar frio, (mar quente só no Nordeste mesmo, ok?), com dunas, as povoadas de corpos sarados, etc.
  • A linda paisagem vista do Morro da Lagoa da Conceição. (amo aquele mirante)
  • vista_mirante_lagoa_floripa
  • A sequência de camarão (farta, deliciosa e uma pechincha).
  • sequencia_camarao_floripa
  • A simplicidade e simpatia dos “manézinhos”. Fiz muitas e boas amizades quando morei em Floripa.
  • O período do inverno (que é congelante, sofrível, mas tem seus encantos) onde é possível se esbaldar nos vinhos deliciosos.
  • O calçadão do centro repleto de lojinhas e achados, prédios históricos, mercado municipal.

Melhor encerrar essa lista por aqui, pois que não caberiam nesse post todos os motivos que me deixaram apaixonada por Florianópolis.

Embora já tenha residido um bom tempo nessa Ilha da Magia, quando Felipe anunciou a compra das passagens fiquei empolgada feito criança. Apesar de já ter na bagagem da minha vida lindas viagens ao Nordeste, retornar a Floripa com Felipe foi sensacional e único.

Chega de chororô nostálgico e vamos ao relato.

Floripa_ilha_da_magia

Viagem realizada entre os dias: 24 de dezembro de 2015 e 3 de janeiro de 2016.

Hospedagem: Felipe decidiu que iríamos a Floripa um mês antes. Logo, nos restaram poucas opções de hospedagem com precinho mais amigável. Nossa prioridade era um lugar bem localizado, ou seja, no meio do caminho para várias praias e com uma noite agitada que pudéssemos chegar a pé. Ou seja, teria que ser na Lagoa da Conceição.

Resolvemos alugar um Flat no site “alugue temporada”. O lugar era super bem localizado, bem no centrinho da Lagoa, e, apesar de ser equipado com cozinha completa, ar condicionado, chuveiro quente e lavanderia a estrutura deixou um pouco a desejar. Por esse motivo não irei recomendar aqui.  Mas o precinho foi bem camarada.

Alimentação: preparava um reforçado café da manhã no flat com ovos, tapioca, pães, frios, etc. O almoço e as besteirinhas realizávamos na praia e o jantar no centrinho da Lagoa, que conta com um ótimo espaço recheado de “foods trucks” e várias opções de restaurantes e sanduicherias. Uma perdição!

Transporte: ônibus, táxi e 4 diárias de carro. O transporte público em Floripa é muito fácil de se utilizar devido aos terminais de integração, o que representou uma boa economia na viagem. E mais, não somos muito adeptos a alugar carro durante todo o tempo da viagem.

10 dias é um bom período de tempo para conseguir desfrutar muito do que Floripa tem a oferecer, mas não pense que será suficiente para conhecer tudo.

DIA 1: PRAIA DA BARRA DA LAGOA. Extensa faixa de areia, ondas fracas e boa infraestrutura de bares e restaurantes.

Localizada a 20 Km do centro, no norte da ilha, sentido Praia Mole. Ônibus urbanos partem do centro em direção à Barra da Lagoa de 15 em 15 minutos.

Iniciamos o roteiro pela Barra da Lagoa, pois Felipe queria uma praia de mar mais tranquilo e preços amigáveis para que ele pudesse realizar algumas aulas de surf.

Resumo do dia nessa praia: Felipe brincando de surfista feito criança e eu “forever alone” na areia tostando sob o sol. (namorada/esposa de surfista sabe bem do que estou falando!). O almoço delicioso foi no restaurante Ponta das Caranhas , super recomendo!

 

DIA 2: PRAIA MOLE. Praia preservada. Areia finíssima e fofa, point da paquera e dos corpos sarados, ondas fortes que formam muitos buracos.  Ótima infra-estrutura de bares e restaurantes e precinhos salgados.

Quando morava em Floripa ouvia das gurias da faculdade que, para frequentar a Praia Mole, antes teriam que se submeter a vários tratamentos estéticos, inclusive, bronzeamento artificial (pasmem!). Sim, lá é território da geração saúde.

Andamos toda a extensão da praia, apesar da dificuldade de se caminhar naquela areia. Faça isso e logo descobrirá o porquê da praia chamar-se “mole”.

DIA 3: PASSEIO DE ESCUNA. ILHA DE AHATOMIRIM, FORTALEZAS E BAÍA DOS GOLFINHOS

ponte_hercilio_luz_floripa
Linda vista da escuna da Ponte Hercílio Luz

DIA 4: CENTRO HISTÓRICO E SHOPPING IGUATEMI. 

Não, definitivamente não sou dessas que adora passear no shopping. Pelo contrário, para mim shopping é tudo igual e só varia a quantidade de lojas, tamanho físico e preços. No mais, tudo mais do mesmo.

Só que nesse dia começou um dilúvio após o almoço e não nos restou outra opção.

 

DIA 5: PRAIAS DE JURERÊ, JURERÊ INTERNACIONAL, INGLESES E SANTINHO. 

Locamos um carro e partimos muito cedo conhecer o Norte da Ilha.

Dica batida, mas vale a pena frisar: na alta temporada o trânsito em Floripa é caótico. Congestionamentos quilométricos e que duram horas. Mas, para escapar dessa tormenta, basta evitar os horários de pico. Saia antes das 9h da manhã e volte antes das 16h, ou somente depois das 20h. Pronto, pra quê perder seu tempo no congestionamento? É preferível permanecer na praia até o anoitecer.

PRAIAS DE JURERÊ E JURERÊ INTERNACIONAL dividem a mesma faixa de areia e possuem o mar calmo e águas mais quentes que as demais praias da ilha. Possui uma ótima infraestrutura de mansões para locação, hotéis e restaurantes chiquérrimos ($$$!!).

A única diferença é que Jurerê Internacional é um bairro de luxo criado na década de 80, com grande planejamento urbano e onde concentra suntuosas casas e habitantes cheios da grana. Mas, a praia é pública e a farofa é pra todos.

Sinceramente, como não gosto dessa vibe de ostentação e muito menos de ver vitrine de luxo e gente rica bebendo Moet Chandon e comendo lagosta, lá não é a minha praia. Nem a do Felipe. Uma passadinha rápida foi o suficiente.

PRAIA DOS INGLESES. 

Estreita faixa de areia batida e morros nas extremidades, tem vista para a Ilha de Mata Fome e ao Sul é separada da praia do Santinho por um conjunto de dunas.

A praia é bastante frequentada pelos Argentinos no verão e tem uma boa infra-estrutura turística.

PRAIA DO SANTINHO

Primeiro, praia do santinho não significa “costão do santinho”, este é o resort que se apossou de uma linda praia e intimidou bares e restaurantes a se instalarem por lá. Logo, a infraestrutura é deficitária, com poucas opções.

A praia do Santinho é inclinada, de tombo e com vistas para a Ilha Badejo e Ilha das Aranhas.

Subindo o morro do canto você podera ver inscrições rupestres feitas pelos índios Carijós ha quase 5.000 anos.

A praia fica quase sempre vazia e tranquila.

 

DIA 6: PRAIA DO MOÇAMBIQUE. É a praia mais extensa de Floripa (aprox. 8,5km de areia). As boas ondas e o sossego atraem surfistas, locais e turistas.

DIA 7: PRAIA BRAVA. Como diz o nome, o mar possui ondas fortes e com intenso repuxo.  Além disso, possui boa infraestrutura na praia e na orla, além, é claro, do visual privilegiado.

Simplesmente amo o visual dessa praia, a minha preferida.

DIA 8: PRAIA DO CAMPECHE. Localizada no sul da ilha, é uma das praias mais ecléticas e democráticas de Floripa. A região da Praia do Campeche também é famosa pela paradisíaca Ilha do Campeche, localizada a cerca de 1,5 quilômetros da praia.

Felipe adorou essa praia e estivemos lá também no último dia da viagem.

DIA 9:  PRAIA DA JOAQUINA OU JOACA. Praia de águas geladas e altas ondas, sendo sede de vários campeonatos de surf.  Possui lindas dunas onde se pratica sandboard, uma espécie de surfe, mas na areia.

Escolhemos passar a virada do ano (2016)  na Joaca, bem pé na areia e nada de “festa fechada”, só curtindo a vibe do lugar e entregando nossos planos para o ano vindouro nas mãos do Criador.

 

Update: essa postagem estava pronta desde 2016 e salva nos rascunhos, por um acaso a descobri e resolvi disponibilizá-la, apesar da inatividade desse BLOG. 😉 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s