Dicas de viagem: MACEIÓ/AL.

Atendendo a um pedido especial, de uma amiga e ex-colega de trabalho, Priscyla Pelói, uma especialista em bebês (futuras mamães não deixem de conferir o divertido e informativo blog que ela escreve, AQUI), resgatei algumas dicas que havia postado, em fevereiro de 2013, no sítio “férias brasil”, sobre minha viagem a MACEIÓ/AL.

Aliás, nem sei se essa postagem ajudará a Pelói- que é uma fera no assunto viajar, pesquisar e planejar roteiros -, mas pode ser útil a alguém, talvez.

Aviso: o que segue são relatos das “minhas impressões pessoais”, pois se referem às minhas preferências  (a redundância foi proposital, pra que fique bem esclarecido). Caso discorde, deixe nos comentários, isso poderá ajudar outras pessoas.  😉

Esta foi minha última viagem de férias sem o Felipe, de 3 a 19 de janeiro de 2013. E, no quesito relacionamento, iniciar o ano na capital de Alagoas me trouxe sorte e um companheiro.

Em agosto/12 troquei de carro e estava sem possibilidades de viajar. Porém, quando chegou novembro a lombriga começou a saltitar e não aguentei, fiz milhões de cálculos, cortei muitos gastos, e comecei a “fase de zumbido” (perturbando os ouvidos de minha mãe e da minha amiga Cátia).

Bom, mas nem foi preciso muito esforço verbal, rapidinho elas concordaram, e, de pronto, saquei a programação e relação dos gastos, deixando-as ainda mais animadas. Pé na estrada.

Como ainda morava em Rolim de Moura-RO (gentilmente chamada pela Pelói de “Cudumundópolis”), uma simples viagem se torna uma aventura (no pior sentido da palavra).

Primeiro, as passagens aéreas partindo de Rondônia custam um rim. Segundo, as melhores opções seria embarcar em Porto Velho/RO ou Cuiabá/MT, e Rolim está a 520km de PVH e 1000KM de CGB. Por último, e sem lógica alguma,  as passagens de ônibus até CGB são mais baratas que pra PVH.

Orçamento apertado, só me restou encarar o busão até Cuiabá/MT, que, na melhor das hipóteses, a viagem dura cerca de 14 horas.

Minhas passagens aéreas de Cuiabá até Maceió adquiri pelo programa de milhagens da TAM, 20 mil pontos, ida e volta. Menos de três meses da viagem, Cátia e Mamis conseguiram comprar as passagens por menos de R$ 800,00, ida e volta.

 

Eu e mamis radiantes por chegar em Cuiabá!
Eu e mamis radiantes por chegar em Cuiabá!

Hospedagem: alugamos um apartamento no conhecido “alugue temporada”, com a proprietária Gabriela Mascarenhas.  Ótimo apartamento. Quarto, sala, cozinha, área de serviço e banheiro, no condomínio Maranello, o qual acomoda confortavelmente 4 pessoas.  Chegando lá, encontramos tudo limpo e com quantidade suficiente de toalhas e roupas de cama para o período locado. Melhor do que se apresentava nas fotografias disponibilizadas na internet.  Preço razoável (R$ 160,00 a diária, mas como seriam 16 diárias, fechamos por R$ 145,00), considerando que o apartamento está localizado na Ponta Verde (duas quadras da praia), que é a melhor praia urbana de Maceió/AL. Sem contar que fica bem próximo ao supermercado Bom Preço e de vários outros lugares que se pode ir à pé (ex. coconut bar, le hotel boate, lopana bar, maricas, bar, kanoa bar, imperador do camarão, parmeggiano restaurante, farmácias, padarias, táxi, ônibus, feira de artesanado da pajuçara, caixas 24h e banco do brasil).

Alugar um apartamento mobiliado pode ser uma forma de economizar, principalmente em viagens longas  e em grupos.

Café da manhã reforçado no Apartamento.

Praias: JATIÚCA, PONTA VERDE e PAJUÇARA.

As praias de JATIÚCA, PONTA VERDE e PAJUÇARA ficam bem próximas umas das outras, nessa sequência. Logo, hospedar-se em ponta verde é a melhor opção. Lugar calmo, seguro e perto de tudo. Andamos por toda a orla, e o movimento é constante, dia e noite, muitos turistas, moradores fazendo caminhada, andando de bicicleta, patins, patinete, skate, etc. Nesse local também se encontram os melhores barzinhos beira mar e com som ao vivo, sempre lotados.

Sobre a banhabilidade das águas, também a ponta verde sai ganhando. Isso porque na JATIÚCA tem muitas algas e um cheiro forte de peixe estragado (deve ser pq tem vários barcos de pesca por lá, rs).  Na PAJUÇARA é muita farofada, cheiro forte de urina e muito lixo na areia. A PONTA VERDE  tem bem poucas algas, o mar é calmo, é mais limpa e organizada.

Nessas praias as cadeiras e os guarda-sóis são alugados (pagamos uma média de R$ 10,00  por duas cadeiras e um guarda-sol). Há poucas opções de comida dos ambulantes (vendem-se basicamente: queijo coalho, camarão, espetinho, milho, e, pasmem, o caldinho de feijão impera). Não posso indicar nada, pois que, ou almoçávamos no apartamento, ou levávamos um lanche light na térmica, ou procurávamos alguma barraca na orla. Anotaram a dica? Realizar algumas refeições no apartamento e comprar uma bolsa térmica = a economia na certa.

Por lá, indico um açaí “tudo de bom” de uma barraca bem na curva da ponta verde (na orla, quase em frente ao banco do brasil). Tudo limpinho e com várias opções de sandubas light (pão de cenoura, queijos variados, e muitas proteínas). Lá tomei até whey protein em muitas variações.

Orla de Ponta Verde
Orla de Ponta Verde
Caminhando pelas orlas de jatiúca, ponta verde e pajuçara.
Caminhando pelas orlas de jatiúca, ponta verde e pajuçara.

ponta_verde

Praias: FRANCÊS, BARRA DO SÃO MIGUEL e GUNGA.

Primeiro fizemos um passeio contratado com o Doda, do “Doda turismo”, que saiu de ponta verde às 8h e passou pelas praias do francês e São Miguel, com paradas rápidas de 15 minutos para fotografias, chegando no GUNGA por volta das 10h, permanecendo lá até 15h30min. O valor do passeio por pessoa: R$ 25,00. Recomendo.

A praia do FRANCÊS é o “bam, bam, bam”, todo mundo fala que lá é lindo, que vale a pena conhecer, etc, etc. Nesse passeio passamos por ela bem cedo, ainda com pouca gente, achamos linda, várias tendas da Skol, passeios de jangadas, barracas de artesanato. Ficamos empolgadas (perigoso isso), e decidimos voltar um outro dia pra curtir com calma essa belezura.

DSC01453

Eis que o dia chegou, acordamos cedo (7h) e pegamos uma lotação até o centro (R$ 2,30) de lá uma van até a praia do francês (R$ 2,30) – basta ir até a Santa Casa de táxi lotação ou de ônibus e perguntar pelo posto de onde sai as vans para o Francês, facílimo e uma pechincha -.

Chegamos lá e ainda estava calmo. Caminhamos por toda extensão da orla, e escolhemos, estrategicamente, ficar no centro para acompanhar a movimentação. Poxa, só não imaginávamos que seria uma super, ultra, mega movimentação de pessoas, ambulantes, garçons, BARATAS e outros insetos menos repugnantes. Nunca tinha visto barata na areia quente da praia até aquele dia (rs).

A muvuca é tanta,  que se você levantasse a sua espreguiçadeira logo alguém colocava outra no espaço que ficou vago.  E olha que, quando reclamávamos do “movimento” o comentário era: “Ah, mas vocês foram numa segunda, tranquilo, precisam ver como é no fim de semana”. Não pagamos pra ver nada lá no francês no fim de semana, rs.

Conseguem ver o mar?!
Conseguem ver o mar?!

O que comemos no francês? Muito Caicó*, cerveja, água e porção de batata dos ambulantes (nas barracas custa o olho da cara). As cadeiras são das barracas, ou você paga o aluguel, ou uma consumação mínima de uns R$ 15,00 por pessoa. Consumimos R$ 20,00 em cerveja, ficou por isso. Saímos da praia 12h30 para caminhar e encontrar um lugar retirado para comer, não encontramos restaurantes apresentáveis. Nossa surpresa foi encontrar uma pousada bem arrumadinha a duas quadras da praia, tudo bem caseiro e atendimento personalizado pela proprietária (desculpem, não anotei o nome, droga). Lá comemos um super sanduíche de carne de sol e um copaço de suco bem geladinho de caju (tudo bem que demorou mais de 1h para sair dois sanduíches e dois sucos, naquele estilo tá-lentoso, rsrs). Matamos a fome, tiramos muitas fotos na pousada, rimos com o pessoal de lá e voltamos felizes para ponta verde (de ônibus).

Restaurantes afastados da praia sempre oferecem melhores preços. #ficaadica

DSC05528
Divando!

*Caicó é um picolé danado de bom e barato, com sabores regionais. Custa R$ 1,50. Só senti por não ter encontrado o de tapioca. Indico muito o de castanha, mas todos são ótimos.

picole_caico

BARRA DE SÃO MIGUEL: não tenho muito que falar, o visual é lindo, não pareceu lotado, porém fiquei apenas 15 minutos por lá.

Só uma espiadinha.
Só uma espiadinha.

PRAIA DO GUNGA: pelo trajeto repleto de coqueirais já dá pra imaginar o visual, belíssimo. Gostamos muito. um banco de areia, arrecifes, mar tranquilo e quente. Como alertou o guia, muito filtro solar (mormaço e sol intenso), caso contrário, não te reconhecerão mais. Lá também tem muita cocada, basta ficar de bobeira pra levar um coco na cabeça. (oh piadinha besta, né?)

O que não recomendo lá são as barracas. Putz grila, ficamos tão empolgadas (olha o perigo novamente) com a paisagem que pedimos um peixe assado e outro frito com acompanhamentos (o olho da cara, R$ 100,00). E os pratos vieram à mesa juntamente com moscas varejeiras (nem o vento fortíssimo conseguia espantá-las). Bom, uma mão no garfo e outra espantando as moscas, a fome era de lascar, depois de algumas cervejas, nem nos preocupamos com isso. Mas a comida era péssima, gosto forte, já tinha passado do ponto, por isso as moscas reivindicavam. Pelo que olhamos por lá, quase todas as barracas tem o mesmo “nível”, detalhe, cobram 10% e couvert (um ser lá no fundo fica tocando Reginaldo Rossi, e temos que pagar por isso). Não recomendo comer na praia do Gunga. Desfrutem apenas do mar, da areia, da vista deslumbrante, e do seu lanche de casa.

Depois do almoço desastroso, pegamos nossos pertences e fomos até os coqueirais que ficam longe das barracas. Estiramos nossas cangas na sombra gratuita, dormimos, tiramos mil fotos, tomamos banho tranquilas.

A linda Praia do Gunga!
A linda Praia do Gunga!
mirante_praia_do_gunga
Mirante da Praia do Gunga

Piscinas naturais de MARAGOGI

Também contratamos o Doda para esse passeio. Custo: R$ 100,00 (R$ 65,00 do barco que te leva até as piscinas e R$ 35,00 do translado Maceió – Maragogi).

Esse passeio sai muito cedo de Maceió, portanto, nada de farra na noite anterior.

Saímos 4h30 de Ponta Verde. Chegamos em MARAGOGI 6h30. O café da manhã estava incluso no pacote. O barco saiu 8h30 para o passeio. Voltamos para a praia de Maragogi 11h e para Maceió 15h30.

O que sobrou do café da manhã.
O que sobrou do café da manhã.

Depois do transtorno na praia do gunga, levamos nossa bolsa térmica recheada de sanduíches, refri e cerveja.

A verdade dói, mas tenho que ser sincera. Poderia dizer que ir até Maceió e não conhecer as famosas piscinas naturais de Maragogi não faz sentido (é o tipo de dica: gastei, não gostei e quero que outros se ferrem também, e a corrente continua). Difícil pescar em sites qualquer um que ouse falar mal de Maragogi, eis que minha voz ecoa destemida e solitária: não gostei!.

Explico. A praia de MARAGOGI é linda, uma larga extensão de areia limpa (adoro isso), mar delicioso, visual agradável, poucos ambulantes. Recomendo com força.

Agora, o passeio para as piscinas que custa R$ 65,00?!!!!  Esse deixa muito a desejar. Leva 40min de barco da praia até as piscinas. Lá tem tanta gente que os peixes, assustados, se escondem onde podem. Vi apenas uns 5 peixinhos, ouriços e outro ser marinho não reconhecido e gelatinoso.

Olha o cardume de peixes coloridos. Não viu?! Melhor procurar um oftalmologista. hahaha
Olha o cardume de peixes coloridos. Não viu?! Melhor procurar um oftalmologista. hahaha

As máscaras são alugadas a parte por R$ 5,00, são nojenta. Duvido que desinfetem o bocal a cada locação. O mergulho com cilindro custa R$ 80,00 e o instrutor não mergulha com o pagante, mas fica empurrando a pessoa pra ficar submersa, ou seja, não tem muita diferença em ir  com cilindro ou meter a cara na água com coragem e de olhos abertos.

A tripulação do barco fica empurrando o CD de fotos (R$ 25,00), com 10 fotos suas e outras 100 das piscinas de Maragogi, provavelmente retiradas da internet. Não compramos CD, não alugamos máscaras, nem contratamos o mergulho. Descemos do barco e ficamos nadando entre os arrecifes, morrendo de medo de encostar em algum ouriço. Ah, sem contar na raiva que você – turista com consciência ambiental -, passa em ver os turistas que ignoram as recomendações e jogam salgadinhos chips no mar.

Depois de 40 minutos te levam para outro local para banho por mais uns 30 minutos (nada demais).

A Praia de Maragogi é LINDA!
A Praia de Maragogi é LINDA!

praia_maragogi

Praia de IPIOCA.

Depois de um furo no passeio que havíamos programado até Porto de Galinhas-Pe*, resolvemos nos aventurar em uma praia próxima e que poderíamos ir de ônibus circular.

*Contratamos o Edvantur Turismo (consultamos algumas recomendações) e, no dia do passeio às 6h da manhã, o próprio Edvan apareceu em um celta arrebentado dizendo que um grupo de sem-terras havia bloqueado a via para Porto de Galinhas. Difícil de engolir, não é?! Ainda bem que não houve prejuízo financeiro, mas um furo desses é ruim para quem deixou o penúltimo dia da viagem para esse passeio (meu caso, snif!).

Mas, nem tudo foi perdido, há males que vem para o bem. Nesse dia, “cuspindo fogo pelas ventas”, resolvemos pesquisar uma praia próxima e seguimos (de ônibus) conhecer a praia de IPIOCA, pouco falada/indicada. Eis a surpresa, na minha humilde opinião, a mais BELA PRAIA DE MACEIÓ. Linda, linda. Bancos de areia, pode-se ir caminhando até os arrecifes, inexplicavelmente, maravilhosa.

Problema:  apenas uma única barraca e comes, bebes, cadeiras e guarda-sol. Mas, estávamos munidas da nossa bolsa térmica básica, não passamos apuros.  Por outro lado, isso é ótimo, nada de ambulantes, nada de música alta, nada de farofada. Poucas pessoas por lá e a maioria eram nativos  (moradores de Maceió).

Gastamos nada, curtimos muito, belas fotos de recordação. Voltaria lá mil vezes, inclusive, um dia, alugarei uma casa de veraneio ali (imaginando aqui minha prole brincando na areia, enquanto eu cuido deles da varanda da casa, ai ai, acordei do sonho!! kkk).

 

A visão do paraíso!
A visão do paraíso!

praia_ipioca

Vida noturna.

Além dos barzinhos da orla de ponta verde (só preparem os bolsos, rs), indico o famoso MAIKAI, que é um misto de casa de show e choperia. Fomos na quarta do turista, dia de muitas apresentações de forró (duas bandas de forró, dj, banda anos 70 e 80). Detalhe, tem que ir bem cedo, 20h no máximo, porque 1h já não tem mais nada lá. Ah, a casa dispõe de vários dançarinos que ficam chamando os turistas pra dançar, basta olhar para algum deles com cara de “queria tanto” que logo te chamam. Depois, eles chamam todos para a pista e tocam uma sequência de músicas coreografadas para acompanharmos, muito divertido. Ainda, tem uma apresentação com a “boneca”- um casal que dança um forró tão aeróbico e flexível que a mulher parece uma boneca -, muito legal.

maikai_frente
As três mosqueteiras.
coreografia_maikai
Só no passinho.

Disseram que domingo também é um dia legal para ir ao Maikai. Na quarta pagamos R$ 25,00 o ingresso, mais o consumo (os drinks são deliciosos, especialmente o mojito).

COCONUT bar, animadíssimo e lotado. Variadas bandas, drinks ótimos. Pagamos R$10,00 o ingresso mais o consumo. Curtimos uma sexta lá. Recomendo.

coconut_bar_maceio

Despedi-me de Maceió em 19/01/2013, mas as aventureiras Mamis e Cátia ainda desfrutaram do paraíso por mais 6 dias, inclusive, fizeram o passeio pra PORTO DE GALINHAS-PE (afff fiquei mordida de inveja…kkk).

Conclusão: indico muito conhecer Maceió, como todo lugar, tem seus contras, mas muitos prós. Mesmo para os lugares que não gostei, indico o passeio, pois cada um tem o seu conceito de diversão e beleza. E, Pry, espero ter ajudado!

Anúncios

2 comentários sobre “Dicas de viagem: MACEIÓ/AL.

  1. Bom dia sou do interior de sao paulo fui pra maceio na maior expectativa,fiquei no hotel mediterranio tudo de bom conheci varios lugares lindos mas quando fui p tal praia do gunga praia linda mas atendimento horrivel um roubo paga se por tudo sem contar contar com a porquice nem nos piores lixoes daqui tem tanta mosca varejeira um nojo estou vomitando ate agora praia do gumga numca mais.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Concordo contigo, Luiz. Visualmente, a praia do Gunga é linda, mas a estrutura é péssima, um desleixo. Uma pena, pois essa praia tem todo potencial de ser um paraíso e as pessoas não valorizam. Obrigada por compartilhar sua experiência aqui. Abraços!!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s